USP São Carlos

USP SÃO CARLOS
EndereçoAv. Trab. São Carlense, 400 – Parque Arnold Schimidt, São Carlos – SP, 13566-590
Telefone: (16) 3373-9997
site: www.saocarlos.usp.br
 

História

A primeira unidade da USP em São Carlos, foi criada em 1948, com a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC).  Porém, as atividades tiveram início, efetivamente, cinco anos depois, com a primeira aula proferida no dia 18 de abril de 1953, no prédio que hoje abriga o Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC), localizado na região central da cidade.

O crescimento da escola — tanto no número de alunos quanto no de atividades — forçou a transferência da unidade para um terreno maior, onde foi construído o atual Campus USP de São Carlos, criado em 1956.

Na década de 1970, a diversificação e o crescimento das atividades da Escola de Engenharia se multiplicaram, resultando em um transbordamento da divisão de então. Isto levou à criação de novas unidades de ensino: o Instituto de Ciências Matemáticas de São Carlos (ICMSC) e o Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC). Mais tarde, em 1994, o IFQSC se divide, resultando na criação do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) e do Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Já no ano de 1998, o ICMSC muda de nome e passa a ser chamado de Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC). No final de 2010 foi criado o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU), a partir do desmembramento do antigo Departamento de Arquitetura e Urbanismo da EESC, também como fruto da consolidação das atividades desenvolvidas na área, implantando assim a mais nova unidade de ensino da USP no interior do Estado de São Paulo.

Atualmente, essas cinco unidades de ensino: EESC, ICMC, IFSC, IQSC e IAU, somadas à Prefeitura do Campus Administrativo de São Carlos (PCASC), ao Centro de Informática de São Carlos (CISC), ao Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) e a outros órgãos/serviços, formam a USP-São Carlos.

A unidade já possui uma segunda área, chamada popularmente de “Campus 2”, criada em decorrência da estagnação da capacidade do Campus original e também da demanda de novos cursos. Foi criado em 2001, possui uma área de pouco mais de 100 hectares, e foi inaugurado oficialmente em 4 de novembro de 2005, ano em que passou a incorporar as atividades acadêmicas da Universidade na cidade.

O campus de São Carlos contam com uma população de 8 023 pessoas entre alunos de graduação e pós-graduação, professores e funcionários. São Carlos é conhecida como o berço dos doutores, possuindo a maior relação de doutores por km² do país e a terceira maior do mundo. A cidade São Carlos é considerada uma ilha de excelência tecnológica no estado de São Paulo, envolta por dezenas de pequenas empresas que desenvolvem tecnologia de ponta, muitas delas fundadas por ex-alunos da EESC-USP através do ParqTec.

Atualmente os dois Campi possuem 42 cursos com 8.795 alunos.

Uma cultura fortemente disseminada na cidade é a de se morar em repúblicas em bairros próximos à universidade, geralmente compostas de estudantes do mesmo curso, criando uma tradição fraternal entre os moradores.

cursos

graduação – um projeto inovador

O Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, criado em 1985, oferece atualmente 45 vagas em período integral ao longo de cinco anos. Com uma proposta inovadora, o curso foi pensado para formar profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento social e econômico do país, atuando como projetistas, planejadores, gestores e construtores de edifícios e cidades. Entendendo a graduação como um momento de produção de conhecimento, o curso promove a reflexão sobre o lugar do arquiteto e urbanista em um período de intensa transformação social, cultural, tecnológica, política e econômica. Neste sentido, objetiva-se formar o arquiteto e urbanista para o mundo do trabalho, o que implica enfrentar as desigualdades e contradições socioespaciais presentes no seu momento histórico, articulando saberes e conhecimentos e mediando conflitos.

O curso mantém excelente demanda na Fuvest, atingindo mais de 27 candidatos por vaga em 2016. Integra o seleto grupo de cursos que obtém sistematicamente cinco estrelas no Guia do Estudante e, em 2015, foi considerado o melhor curso de arquitetura e urbanismo do país.

Nos próximos anos nosso desafio na área de graduação é discutir e implementar a renovação de sua estrutura curricular, procurando atualizar os conteúdos e os processos de ensino e aprendizagem.

O curso busca formar profissionais para projetar e desenvolver aviões, valendo destacar que o Brasil é um dos poucos países que detêm capacitação para atuar em todas as fases do desenvolvimento desse tipo de veículo: projeto, construção e homologação. O currículo do curso foi elaborado para prover ao aluno habilidades para atuar nas diversas áreas do conhecimento aeronáutico, como aerodinâmica, estruturas, dinâmica e controle de voo, aeroelasticidade, propulsão etc. Os temas são abordados a partir do projeto, construção, homologação e manutenção de aeronaves, com foco na parte prática para que o estudante tenha oportunidade de realizar ensaios experimentais em túneis de vento e utilizar programas computacionais de simulação e cálculo para projeto. Assim, o egresso estará apto a atuar profissionalmente nos diversos segmentos da indústria aeronáutica e da aviação, podendo também desenvolver pesquisa científica e aplicada em institutos de pesquisa, empresas e universidades brasileiras e do exterior.

A estrutura proposta para esse curso objetiva a formação de engenheiros que tenham forte embasamento nas ciências básicas, como matemática, química, física e biologia, além de fundamentação sólida em ciências de engenharia e, mais especificamente, em ciências de engenharia ambiental. O objetivo desse profissional é a criação, geração e desenvolvimento de novas tecnologias e a aplicação de tecnologias consolidadas para prevenção e controle da poluição ambiental. Além disso, o egresso estará apto a participar em estudos de caracterização ambiental, na análise de suscetibilidades e vocações naturais do ambiente e na elaboração de estudos de impactos ambientais. A existência de profissionais com essas características e habilidades é cada vez mais importante na implantação de qualquer modelo de desenvolvimento econômico, tanto na prevenção quanto na minimização dos impactos que a atividade humana provoca no ambiente

O curso oferece sólidas formações básica e conceituai associadas ao elenco extenso, geral e completo das disciplinas profissionalizantes que abrangem todas as áreas de atuação do engenheiro civil: arquitetura e conforto; planejamento urbano; caracterização do meio ambiente nos aspectos físicos, humanos e sociais; construção civil; estruturas de concreto; de madeira e metálicas; instalações hidráulicas e sanitárias; saneamento, disposição de rejeitas, hidrologia e recursos hídricos; estradas, portos e aeroportos; planejamento e análise de sistemas de transporte; geologia de engenharia; mecânica dos solos e das rochas; barragens, túneis, fundações e estruturas de contenção; economia e orçamento; administração e gerenciamento de obras. O mercado de trabalho inclui construtoras, concessionárias de serviços públicos, órgãos públicos, empresas de consultoria, de projeto e fiscalização, indústrias de fabricação e manutenção de equipamentos e, ainda, a possibilidade de atuar como profissional liberal autônomo ou pequeno empresário, comandando seu próprio escritório ou construtora, com pequeno capital inicial

A mecatrônica é uma tecnologia chave para o aumento da competitividade de processos e produtos manufaturados, pois pode auxiliar em seu desenvolvimento visando ao bem-estar das pessoas de maneira sustentável. Um sistema mecatrônico é composto por um processo ou por um produto equipado por sensores que coletam dados, os quais são processados e avaliados por intermédio de programas implementados em sistemas eletrônicos microprocessados. Por meio dessas avaliações, decisões são tomadas e o sistema pode ser alterado e controlado em ações das mais diversas, como em seu movimento, vazão ou temperatura. Suas aplicações podem atender demandas de diversas áreas tecnológicas, tais como: sistemas robóticos, veículos, automação de plantas industriais, processos químicos, entre muitas outras. Tendo em vista o projeto e a manutenção de tais processos e produtos, essa profissão demanda o uso de conhecimentos provenientes de diversas áreas da ciência, como mecânica, elétrica e computação.

O profissional possuirá sólida formação básica nos fundamentos da engenharia aliada a um forte preparo em engenharia elétrica, com ênfase nos sistemas de energia e automação, levando a uma ampla faixa de atribuições profissionais. Ele atuará com sistemas de energia, desde a geração da energia elétrica a partir de várias fontes – como hidráulica, térmica, eólica, solar – até seu uso final. O egresso estará apto para atuar em todo o parque industrial, incluindo indústrias eletroeletrônicas e eletromecânicas, fabricantes de equipamentos industriais de automação eletromecânicos, eletropneumáticos e eletro-hidráulicos. Também poderá trabalhar de forma autônoma em projeto, fiscalização e construção de instalações elétricas, ou participar ativamente de estudos preliminares, projeto, construção, fiscalização, ensaios e operação de centrais hidroelétricas, termoelétricas e de outras fontes de energia. Atuará amplamente em empresas concessionárias de serviços de energia elétrica: em operação, proteção, manutenção, compras técnicas, administração e vendas de energia. Por fim, poderá se dedicar à carreira acadêmica em universidades e institutos de pesquisa

Forte formação científica básica e uma vasta formação profissional geral em engenharia elétrica que permite uma atuação flexível no mercado de trabalho são características marcantes do egresso desse curso. Esse engenheiro se ocupa com aquisição, transmissão, processamento e utilização da informação, bem como a elaboração de sistemas, componentes e dispositivos para aplicações médicas, industriais, residenciais e outras. Além disso, o aluno poderá se aprofundar em telecomunicações, sistemas digitais, instrumentação e controle ou engenharia biomédica, que lhe darão o direito a receber um certificado de estudos especiais. No mercado de trabalho, poderá atuar em institutos de pesquisa, universidades públicas e privadas, empresas concessionárias de serviços públicos (como de eletricidade e de telecomunicações), no parque industrial brasileiro, na indústria eletroeletrônica ou em outras, bem como em empresas de projetos e prestadoras de serviços

Objetivo

O objetivo do curso é a formação do profissional Químico (Bacharel em Química) que possa atuar em atividades de pesquisa científica e de desenvolvimento tecnológico, seja no meio acadêmico, em instituições de pesquisa ou na indústria.

O curso

O curso é oferecido em período integral (matutino e vespertino) e possui duas habilitações. A Habilitação Fundamental tem duração regular de quatro anos. A Habilitação Tecnológica tem duração regular de quatro anos e meio, possuindo Ênfases em: (i) Alimentos, (ii) Ambiental, (iii) Gestão de Qualidade e (iv) Materiais. São oferecidas 60 vagas ao todo, com ingresso pelo vestibular da FUVEST e também com vagas oferecidas pelo SiSU/MEC.

 

Fechar Menu
×
×

Carrinho

Abrir chat
Precisa de Ajuda ?
Olá
Posso Ajudar ?